Ação contra Joselyr ainda é sobre a compra dos podrões

Ação contra Joselyr ainda é sobre a compra dos podrões Fonte da Foto: internet

Foi um caso que chamou a atenção da sociedade avareense, quando prefeito de Avaré, Joselyr Silvestre entre os meses de janeiro de 2007 a dezembro de 2008, com o envolvimento de mais pessoas o então prefeito Joselyr teriam cometido crime de licitações advindo do resultado de uma compra feita pela Prefeitura de 8 ônibus deteriorados que na época em noticia exclusiva da Comarca ficou conhecido como o “caso dos ônibus podrões”

Nesse caso, além de envolver Joselyr Benedito Silvestre, também na ação tem como parte Rosita Maria Correa Silvestre de Barros; Itamar de Araujo; Fernando Borba de Amorim, Eduardo Borba Amorim, Reinaldo Tordin Filho, Valdimir Wilson Garbellini e Rosemaria de Góes, ainda como corréus Manoel Moreira da Silva e Rogerio Lopes Pedroso.

De acordo com a informação do jornal, os veículos foram adquiridos pelo valor de 640 mil reais, ainda mais um gasto de 80 mil, totalizando 9 veículos que estavam em posse do município, sendo que na ação o magistrado afirma que “para o erário público, só ficou o prejuízo. Para a sociedade, a falta do serviço publico de transporte”.   

Em sua defesa o ex-prefeito Joselyr negou qualquer tipo de irregularidade, afirmando que os veículos cumpriram suas funções ainda defendendo a honestidade do certame, rejeitando a tese de favorecimento afirmando que o certame passou pelo crivo das comissões de licitação e assessoria jurídica, chegando em alguns casos a apresentar documentos para corroborar suas versões.

Nesse caso, em primeira instância o ex-prefeito Joselyr Silvestre foi sentenciado à pena  de 9 anos e 4 meses de detenção, em regime inicial fechado, bem como o pagamento de 34 dias multa.  Foram condenados também; Fernando Borba de Amorim, Reinaldo de Amorim, Reinaldo Tordin Filho, Eduardo Borba Amorim e Valdemir Wilson Garbellini, que deverão cumprir cada um, 6 anos e 8 meses de detenção, em regime inicial seminaberto, além do pagamento de 26 dias multa. Itamar de Araújo, Rosita Silvestre e Rosamaria de Góes foram condenados a 7 anos de detenção em regime semiaberto e pagamento de 26 dias- multa. Segundo A Comarca, foram absolvidos os corréus Manoel Moreira da Silva e Rogélio Lopes Pedroso. Agora o processo segue para julgamento na segunda instância junto à 4ª Câmara de Direito Criminal, segundo o que foi publicado no jornal A Comarca.

Veja Também