Barreto deixa o G7, grupo que o elegeu presidente

Barreto deixa o G7, grupo que o elegeu presidente Fonte da Foto: arquivo

Não conseguimos levantar nem mesmo pelo dicionário qual seria o termo que poderia ser aplicado para falar sobre o comportamento do vereador e presidente da Câmara Barreto de Monte Neto, depois de uma notícia que foi veiculada na edição de ontem no jornal impresso A Comarca, o que levou a opinião pública a não entender essa atitude do vereador.

A estranheza consiste simplesmente no fato de Barreto ter persistido em ser o escolhido pela oposição ou seja o Grupo dos 7, conhecido como G7, grupo que deu a chance de Barreto de Monte Neto chegar a esse posicionamento, condições que somente conseguiria com apoio da oposição que na ótica de antigos políticos teria confiado um cargo de grande relevância a um vereador, que acaba tomando uma decisão tão inusitada e esdrúxula.

De acordo com informações não era essa a proposta feita com o vereador Barreto quando foi escolhido para ser o presidente da Câmara, mas para muitos teoricamente o poder que lhe foi outorgado, teria levado o vereador a se perder possivelmente em meio a supostas propostas, que resolveu, como disse ao Jornal: “tenho que ter liberdade para votar os projetos que chegam à Câmara”.

Por outro lado, ao esquecer o grupo que o elegeu presidente da Câmara, Barreto possivelmente acaba de mostrar que mesmo tendo entrado como presidente graças à oposição, agora quer ter liberdade para votar de sua maneira, sem ao menos consultar o grupo que o elegeu. Isso em política tem um nome e que não nos atrevemos escrever aqui, mas está muito visível que o vereador quer ser o divisor das águas daqui para frente. Sem possivelmente ter a noção de que deu um tiro no pé e que deverá surtir efeito negativo nas próximas eleições que se aproximam.

Veja Também