Contradições que não preocupam Jô Silvestre

Contradições que não preocupam Jô Silvestre Fonte da Foto: reprodução / Jornal A Voz do Vale

Caro leitor, temos por necessidade, como pede o bom jornalismo, trazer a público certos comportamentos da Prefeitura, já que setores da mesma, como no caso o setor do turismo, não demostram qualquer preocupação com o que passamos a narrar agora.

Não queremos aqui afirmar que somos contra a realização do carnaval no Balneário Costa Azul, que sabemos ser a população daquele local totalmente contra, mas o que chama a atenção é a contradição que o prefeito parece gostar de mostrar quando se trata de festa, já que é o seu forte, embora o carnaval de 2017 já esteja trazendo possíveis consequências.

Como divulgado nos jornais impressos e até mesmo no Semanário Oficial, a Prefeitura já está divulgando a programação do Carnaval deste ano, onde narra a realização do evento de 2 a 5 de março na orla do Costa Azul, com a banda Fruto Proibido, com direito a matinê a partir das 15 horas.

 A contradição vai ficar bem próxima dessa festa e poderá ser visto pelos turistas e avareenses que tem o direito de um bom carnaval, que o que verão deverá gerar um possível inconformismo, quando virem que obras do calçadão do Costa Azul estão paralisadas, como as obras de quiosques já paralisadas por muitos anos, inclusive como foi registado pelo jornal A Voz do Vale, parte do calçadão que não foi finalizado e mesmo assim está afundando.

O que impressiona, como diz um morador do Balneário Costa Azul, é que essa contradição já ocorre há muito tempo, mas o lamentável para os moradores, é que o prefeito Jô Silvestre se preocupa mais em fazer festa, deixando as melhorias do bairro em último plano, como se o local fosse interessante apenas durante época de festas.

Lembrando que sobre a situação dessas obras paralisadas o jornal A Voz do Vale, no último dia 31, voltou a cobrar o prefeito Jô Silvestre que, em nota a Secretária de Obras, informou que está finalizando novo processo licitatório para a continuação das obras, porém, como cita o jornal em questão, a Secretaria não revelou quando as licitações ocorreriam. Mas o carnaval vai acontecer mostrando então uma contradição do que pode-se chamar de falta de prioridade, em um local onde a população sofre com falta de tantas boas feitorias.

Veja Também