Decisão de Barreto enfraquece oposição

Decisão de Barreto enfraquece oposição Fonte da Foto: divulgação

Em conversa com políticos que já passaram pela Câmara de Avaré em outros períodos eleitorais, alguns foram unânimes em explicar que essa decisão tomada pelo presidente Barreto em suma nem poderia existir, quando somente ao se tornar presidente da Câmara com os votos da oposição, teria passado a pensar na liberdade para votar nos projetos, uma decisão que ganhou muita repercussão ainda nos últimos dias.

Depois de tudo que ocorreu, para alguns políticos esse posicionamento de Barreto não condiz com a linha do partido, como explicou o petista Silvano Porto que “a família Silvestre e o PT são como agua e azeite, não se misturam”.

O que vem trazendo estranheza sobre esse comportamento de Barreto, não estaria convencendo muitos eleitores, inclusive pessoas que nele votaram, pelo fato de se mostrar anteriormente muito unido ao Grupo dos 7 e, assim que o grupo o elegeu presidente, passou a achar que tem o direito de tomar decisões que poderão desfavorecer a oposição.

São palavras do próprio Barreto em entrevista ao jornal a Comarca que “foi mais por questão administrativa do que política. Como presidente tenho que ter critério na hora das votações. Vai ter momento que votarei junto com o grupo e outros que não. Tem que haver liberdade, senão não é democracia” argumentou Barreto.

Por outro lado, como bem foi lembrado até mesmo por petistas que discordam dessa postura do vereador petista, em outras ocasiões em que ainda não tinha a força da caneta, sempre votou coeso ao G7, época em que a oposição se mostrava fortalecida. Muitos perguntam porque não teve esse comportamento antes, somente depois que assumiu a presidência com os votos da oposição é que resolveu ter liberdade para votar em projetos que chegam à Câmara.

Entretanto, essa mudança estabelecida pelo presidente da Câmara, quando declara que “vai ter momento que votarei com o grupo e outros que não” já deixa uma conotação de que fatos inéditos poderão ocorrer na Câmara de Vereadores depois do dia 3 de Fevereiro, quando voltam a se reunir.

Veja Também