DIG cumpre mandados de prisão contra quadrilha especializada em furtos a residências

DIG cumpre mandados de prisão contra quadrilha especializada em furtos a residências Fonte da Foto: divulgação / Polícia Civil

A Polícia Civil de Avaré está realizando uma operação contra uma quadrilha que praticava furtos a residências em diversas localidades do Estado, em especial na região de Ribeirão Preto, onde estão sendo cumpridos desde o início da manhã de hoje, dia 15, 5 mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão domiciliar. Os alvos principais estão localizados em Sertãozinho, onde residem a maior parte dos indivíduos suspeitos de integrarem a organização criminosa.

Batizada de “Mioleiros”, a ação é coordenada pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Avaré, que está empregando um efetivo de cinco viaturas e 16 policiais, entre eles dois delegados. A equipe responsável pela investigação ainda conta com apoio de mais 10 viaturas e 36 policiais designados pelas Delegacias Seccionais de Polícia de Itapeva, Itapetininga, Botucatu e Sorocaba (Deinter 7). Policiais de Sertãozinho também participam das incursões.

De acordo com o delegado Fabiano Ribeiro Ferreira da Silva, as investigações foram iniciadas no mês de julho deste ano após furto qualificado a uma residência de alto padrão no Largo Santa Cruz, no centro de Avaré. Logo no início da apuração foi possível identificar que o crime tinha sido praticado por indivíduos que atuavam em conjunto. A busca por provas levou os policiais civis a descobrirem fatos relevantes sobre a quadrilha.

Segundo as investigações, além de Avaré, cidades como Barrinha, Jardinópolis, Ibitinga e Sertãozinho estão entre as que tiveram registros da atuação dos criminosos. Todos os investigados alvos da operação de hoje, com exceção de um, possuem extensa ficha criminal por delitos contra o patrimônio, como furto, receptação e roubo. Os integrantes também já foram condenados por crimes desse gênero e são egressos do sistema penitenciário.

Apontado como um dos líderes da quadrilha, B. G. P., de 23 anos, é referência nas provas colhidas pela investigação. Ele e os outros integrantes tiveram as prisões solicitadas após a Polícia Civil interceptar, com autorizações judiciais, conversas que revelaram o esquema. “Por meio dessas conversas identificamos todos os envolvidos e conseguimos visualizar como era a forma de atuar do grupo”, ressaltou o delegado Fabiano.

Também estão entre os procurados dois homens apontados como principais receptadores dos objetos furtados pela quadrilha. Entre eles está R. A. P. L., de 29 anos, indivíduo que trabalha como ourives e que tem um estabelecimento comercial no centro de Ribeirão Preto. Ele também aparece nas interceptações realizadas pela DIG de Avaré em conversas com B.G.P.

Para ter acesso ao interior da residência um dos métodos empregados era danificar o miolo das fechaduras das portas de entrada, daí o nome da operação. Um integrante ficava do lado de fora do imóvel, geralmente no interior de um veículo, para avisar possível ameaça à ação criminosa. Concluída a subtração dos objetos, tudo era colocado dentro do veículo para a fuga. 

Os investigados invadiam as casas em busca de tudo o que pudesse ser trocado por dinheiro. Entre os objetos mais cobiçados estavam televisores, computadores de mesa, laptops, joias, relógios. Em uma das ações delituosas o grupo furtou um quadriciclo, posteriormente negociado com um receptador. Segundo o inquérito policial instaurado pela DIG de Avaré, a associação criminosa é responsável pela prática de aproximadamente 20 furtos a residências (da assessoria de imprensa da Polícia Civil).

Veja Também