Emapa do prefeito leva ao palco hoje Henrique e Juliano

Emapa do prefeito leva ao palco hoje Henrique e Juliano Fonte da Foto: divulgação

Entrando em seu sexto dia de um evento que vem dividindo as opiniões na cidade, a festa que começa a ser chamada de “A Emapa do prefeito”, apresenta hoje, quinta-feira, dia 6 de dezembro, a dupla Henrique e Juliano e o que mais podemos torcer é que a festa termine da maneira que Jô Silvestre quer, já que as críticas sobre declarações do prefeito em uma rádio não batem com o que vem ocorrendo na festa.

As reclamações divergem do que falou Jô Silvestre num programa de rádio, que a população merecia diversão e seguindo a isso ele fez uma estrutura que humilharia até mesmo cidades com mais de 300 mil habitantes, onde cobram os shows e também o estacionamento. O que pesa na festa de Jô Silvestre são os preços salgados de empresas que lá estão estabelecidas e que pagaram pelo espaço e que vão levar os lucros para suas cidades, o que deixa claro que o prefeito mais uma vez faltou com a verdade, quando disse que a festa não atrapalharia do comércio de Avaré.

O diferencial dessa festa do prefeito de Avaré é que shows e estacionamento são gratuitos, sendo que quem está pagando praticamente tudo é a própria Prefeitura e quem estaria no comando de tudo seria o próprio prefeito, embora tenha vendido a festa a uma empresa de São Miguel Arcanjo, a qual seria responsável por diversas áreas da festa e, no entanto, como contam muitos servidores da Prefeitura e que preferem não ser identificados para não perder o emprego, trabalharam durante alguns dias no evento, mas agora apenas alguns funcionários estariam supostamente trabalhando à noite e ganhando hora extra.

A estranheza, segundo um servidor, é que quem ganhou a licitação da festa é deveria ter uma equipe para montar toda a estrutura da festa, mas contam que o prefeito teria obrigado um número  considerável de funcionários da Prefeitura a trabalhar no evento, fato que os próprios servidores esperavam que a Câmara de Vereadores viesse a revelar esse tipo comportamento do prefeito, pois o que teria ocorrido é que quem pagou em torno de 500 mil reais  para tocar a festa, teoricamente, não gastou nada com empregados uma vez que, como contam inúmeros servidores, “nos tivemos que fazer o serviço que era de quem ganhou a licitação, mas o prefeito mandou e tivemos que obedecer”- reclamou um servidor, acrescentando que não era certo isso que o prefeito Jô Silvestre estava fazendo.

Veja Também