Empresário recebe editor do Jornal do Ogunhê

Empresário recebe editor do Jornal do Ogunhê Fonte da Foto: Zezé Toledo

Na manhã de ontem, dia 14, estivemos em contato com o proprietário da empresa Central de Abates e Carnes (CAC), Osvaldo Shibata, em seu escritório, onde se mostrou solícito, quando então relatou fatos interessantes e que, até então, a população de Avaré não tinha conhecimento da empresa que já está pronta, esperando apenas por documentos do estado para começar a trabalhar.

A CAC está prestes a começar a funcionar no município de Avaré.

O empresário proprietário da empresa, Osvaldo Shibata, foi enfático em dizer que o que mais causou estranheza e até mesmo uma espécie de revolta é que a empresa e nem ele receberam qualquer visita de políticos da Prefeitura e também da Câmara de Vereadores, mas o empresário mostrou também sua indignação com a burocracia do país, mas com relação a Avaré, perguntamos se ele recebeu visita do prefeito Jô Silvestre ou e alguns dos setores da Prefeitura. O empresário Shibata foi categórico e disse que não apareceu ninguém muito menos para dar boas vindas a ele.

Esclareceu o empresário que o político não tem obrigação de ajudar a empresa, mas pelo menos dar um apoio de boas vindas ou aquele apoio moral para levantar as expectativas de um empresário que escolhe uma cidade como Avaré para investir e gerar emprego e não obtém um resultado acolhedor que pensava existir. Por tudo o que vem fazendo para gerar empregos em Avaré, acha que mereceria o mínimo de consideração por parte dos políticos da cidade.

Disse que esteve uma só vez com o prefeito de Avaré (Jô Silvestre) que se colocou à disposição, mas no momento que precisou de uma máquina para a terraplanagem e mesmo depois de procurar o prefeito Jô Silvestre por várias vezes, pela demora disse que cansou e pagou uma empresa particular para fazer o serviço.  O empresário disse que durante esse período nenhum vereador, ou seja, políticos da cidade, se deram ao luxo de uma visita, recebendo apenas a visita de uma vereadora que, no momento, não lembrou o nome, mas que era de Arandu, a qual fez o que podia para ajudar em alguns assuntos.

Deixou claro, por diversas vezes, que a sua intenção é profissional e não tem pretensões politicas, mas se sentiu muito chateado e até com um pouco de indignação pelo fato de nenhum político, seja da Prefeitura seja da Câmara, ter dado um apoio moral pelo menos recebendo a empresa em Avaré, que, em pouco tempo, segundo ele, vai gerar 400 empregos sendo 200 cada turno.

Veja Também