Jô Silvestre sempre apostando no contraditório

Jô Silvestre sempre apostando no contraditório Fonte da Foto: Facebook

Interessante o posicionamento do prefeito Jô Silvestre em momentos nada propícios, para mostrar que parece ter satisfação, supostamente pessoal, para usar do contraditório, confundindo o cidadão avareense, como se as suas ações como administrador estivessem dentro do contexto supostamente legal.

O Jornal do Ogunhê sempre acompanhou não apenas o modelo do pai, mas também o modelo contraditório de Jô Silvestre em fazer política, como se tivesse correndo tudo bem, quando, na verdade, os fatos até agora relacionados à sua administração além de contraditórios, vêm dando condições de até leigos em política entenderem que as coisas não serão fáceis para ele, já que existem indícios de novos acontecimentos teoricamente negativos em sua administração. 

A estranheza já aconteceu na quinta-feira, dia 116, ao afirmar que vai para a reeleição no ano que vem, deixando seu fiel escudeiro Ripoli de lado e, no final de semana, a imprensa publica que o TCE aponta 80 falhas no primeiro ano de governo de Jô Silvestre e que, como noticiou A Voz do Vale, caso o parecer do Tribunal e também da Câmara seja desfavorável às contas de 2017, Silvestre corre o risco de ficar inelegível.

Para alguns causídicos de Avaré e até mesmo da região, as contas do prefeito Jô Silvestre relativas ao primeiro ano podem não ser aprovadas e que a possibilidade de uma reeleição já deveria ficar fora de cogitação; para alguns políticos, Jô Silvestre já estaria utilizando da estratégia que seu pai sempre usou, como se não existisse nada que pudesse brecar os Silvestre em Avaré.

Veja Também