Jô Silvestre: um prefeito contraditório

Jô Silvestre: um prefeito contraditório Fonte da Foto: Divulgação

Já falamos sobre esse assunto, por diversas vezes, mas não custa nada reforçar que o governo de Jô Silvestre continua sendo um governo contraditório, onde se observa uma falta de sintonia do prefeito com seus comandados, o que é mais perceptível a cada dia.

Quem não lembra quando, há quase dois anos, o prefeito Jô Silvestre, ao sentar na cadeira de prefeito, prometeu pagar em dia os servidores entre outras coisas, mas não cumpriu sequer um item de tudo que falou em sua posse, comprovando ser um prefeito muito contraditório em suas declarações.

Um jovem que, de acordo com informações, nunca teve um trabalho de relevância, assumia a Prefeitura de Avaré por consequência do prestígio político de seu pai, que continua cumprindo pena em regime de prisão domiciliar, praticamente usando o modelo do pai, começando por brigar com toda a imprensa, menos com o radialista Ripoli que, para manter um cargo na Prefeitura, faz defesas e não critica Jô Silvestre.

Uma das maiores contradições foi muito bem explicada pelo jornal A Voz do Vale desta semana, dia 17 de novembro, em um levantamento detalhado, apontando que a Prefeitura deverá gastar cerca de dois milhões e meio para a realização da Emapa e a contradição está justamente nesse sentido, pois em declaração no dia 3 de setembro, no plenário da Câmara, o Secretário de Cultura, Diego Beraldo, informou que o gasto seria de 600 mil reais. A Voz do Vale trouxe em detalhes a informação.

Veja Também