Masp recebe exposição de Djanira da Motta

Masp recebe exposição de Djanira da Motta Fonte da Foto: internet

A exposição abre o ciclo Histórias das mulheres, histórias feministas e vai trazer obras de várias artistas para o museu durante este ano.

A Folha de São Paulo mostra uma pintora conhecida por sua abordagem da cultura popular.

A jornalista Gabriela Longman que elaborou essa matéria deixa claro que se baseou no trabalho de curadores que se debruçaram em coleções públicas da pintora, sendo a maior parte no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio.

A artista chegou a pintar um mural de nome Candomblé, em 1954, para o escritor Jorge Amado, um fato que ficou registrado nos anais da pintura brasileira elevando o nome de Djanira Motta, que sempre teve seu trabalho reconhecido, não apenas na região de Avaré.

Na mostra agora realizada estão festas populares como de São João, retratos do mundo com relação ao trabalho agrícola, industrial mostrando certa brasilidade.

Segundo a Folha, Djanira realizou o projeto ambicioso de retratar a mina do Cauê, na cidade mineira de Itabira, e o impacto para o meio ambiente desta que seria uma das primeiras zonas de extração da Vale do Rio Doce. Apresentada pela primeira vez em 1976, a série tem uma atualidade que não deixa dúvida que sua obra anda muito viva e reverbera questões brasileiras que estão (ainda?) na ordem do dia.

Veja Também