Pasta do Turismo seria como uma espécie de escada política

Pasta do Turismo seria como uma espécie de escada política Fonte da Foto: divulgação

A imprensa tem um papel importante na vida de uma cidade, principalmente diante de um governo municipal que começou a sua administração brigando com a imprensa inteira e uma forma de contestar as verdades que a mídia leva à população é utilizar do sistema de rede social, como saída para desmentir ou afirmar que a imprensa de Avaré é mentirosa.

É visível o abandono do turismo de Avaré, que se concentra em uma ou duas festas de grande relevância e muitas vezes a participação maior ocorre através da Secretaria de Cultura. Contudo o que deixa a população ou uma parcela dela que conhece muito bem o turismo de Avaré, é a forma com que tratam as questões, como foi o caso dessa não participação de Avaré em um importante evento em São Paulo, feita pela Secretaria Estadual de Turismo como já explicamos.

Diante de uma resposta tão negativa quanto ao que foi levantada pela Secretaria de Turismo, que o assunto a ser discutido nesse importante evento não “interessava ao município”, mostra de um desatento fora do comum, deixando uma conotação apenas que a pasta apenas serve como suposta escada política, pois para apenas relembrar, Jô Silvestre foi capaz de trazer um politico de nome G. Barros para ser secretário, apenas esperando a chegada da oportunidade para se candidatar a um cargo político, sem deixar uma esperança de progresso no turismo de Avaré.

Pior agora é que o prefeito Jô Silvestre, teoricamente para manter um quadro de políticos de carreira no governo, em tese, coloca um elemento que deixa uma conotação que nada entende de turismo, ao ponto de alguém sugerir lá dentro da pasta que um evento importante do turismo Paulista com mais de 240 participantes, inclusive cidades próximas de Avaré que são turísticas estiveram presentes e comprovou que se tratava de um evento de grande relevância, o que para Avaré foi tratado como “sem interesse” como se tivéssemos um turismo atuante, que não precisa de novos aprendizados, como se Avaré fosse uma cidade que não dependesse do governo do Estado. É um fato lamentável que não deveria acontecer.

Veja Também