Prefeito por ter cometido crime por causa de Orçamento Impositivo

Prefeito por ter cometido crime por causa de Orçamento Impositivo Fonte da Foto: Facebook

O prefeito Jô Silvestre teria cometido um crime ao não seguir a lei do Orçamento Impositivo aprovado pela Câmara de Avaré em 2017. A denúncia partiu dos vereadores que fazem oposição a atual administração. A matéria é do jornal A Voz do Vale.

Quando aprovado, os vereadores destinaram uma porcentagem do orçamento anual do município para que a Prefeitura promovesse algumas melhorias, como no caso da construção do muro de arrimo no Bairro do Camargo e doação de verbas a entidades assistenciais de Avaré.

Durante a sessão da Câmara de ontem, dia 11, o vereador Toninho da Lorsa voltou a questionar o prefeito a respeito do assunto e afirmou que chegou a receber, durante a semana, uma suposta prestação de contas da Prefeitura. “Eu nem vou apresentar isso hoje, porque isso não pode ser considerado uma prestação de contas”, afirmou o tucano.

O parlamentar destacou que Jô Silvestre teria “empurrado” essas benfeitorias para 2019, o que contraria a lei. “O Orçamento Impositivo de 2018 eram despesas que deveriam ter sido feitas em 2018. Tentaram fazer uma gambiarra, jogar parte dessas despesas para 2019, o que está errado. O muro de arrimo teria que estar pronto em 2018”, revelou.

Veja Também