Prefeito tenta induzir Câmara a erro, afirmam vereadores

Prefeito tenta induzir Câmara a erro, afirmam vereadores Fonte da Foto: Divulgação

O Projeto de Lei número 85/2018 pedindo revogação da Lei Municipal 2.062, de 29 de novembro de 2016, que envolveu um terreno que havia sido permutado com um empresário, desencadeou uma polêmica na última sessão, por contradições e erros confirmados em documentos anexos ao projeto de lei que acabou sendo rejeitado pela maioria dos vereadores.

O projeto de lei entrou em discussão na última segunda-feira e o primeiro vereador a comentar sobre o referido documento foi o vereador Ernesto Albuquerque que observou, já de início, um erro de informação muito sério, pois constava uma permuta de terreno feita no governo anterior com o empresário Ulisses Castilho de Almeida, que estava presente àquela sessão.

De acordo com o vereador, no ofício anexado ao pedido de revogação, o prefeito afirma que “O Projeto de Lei em epigrafe se faz necessário pelo fato da desistência do Sr. Ulisses em concretizar a referida permuta com a competente retificação da área dos imóveis”. Ernesto explicou que conversou com o empresário Ulisses Castilho e que não é verdade o que consta no documento assinado pelo prefeito Jô Silvestre - que o empresário teria desistido da permuta. Na ótica do vereador, o prefeito teria enviado à Câmara uma informação falsa, uma informação inverídica, faltando com a verdade e induzindo a Câmara a erro, alertou o vereador.

Veja Também