Radialista não se informa antes de falar

Radialista não se informa antes de falar Fonte da Foto: Ilustrativa

Achando-se o dono da verdade, Rodivaldo Ripoli após décadas nos microfones, ainda não aprendeu que deve se informar antes para dar uma notícia verdadeira, mas o que vem fazendo é espalhar “fakes”, sendo considerado um dos maiores causadores de problemas na cidade, merecendo também puxões de orelha na Câmara de Vereadores, muito bem colocados, pelo vereador Ernesto Albuquerque, sobrando críticas até para a emissora onde Ripoli trabalha.

Fazendo do jeito costumeiro, como acontecia na outra rádio em que falava mal das pessoas, chegando a levar vários processos, o radialista em suas falas coloca alguns setores da sociedade em situação pejorativa.

Ontem, foi outro dia em que o radialista, sem qualquer informação aparente sobre o caso, passou a fazer forte e ácida crítica sobre o funcionamento do aplicativo Uber em Avaré. Quando falava na cara dura que o aplicativo estava trabalhando clandestinamente em Avaré e que não havia nenhuma fiscalização, de repente, alguém que sabia do assunto o teria interrompido provavelmente por sinais e o radialista, completamente desinformado sobre o assunto, diz “hãn...”, mostrando que estava mesmo desinformado, dando uma pausa e voltando com outro discurso, dizendo que “é importante pegar esse assunto para debater para tentar resolver essa questão, agora eu considero o negócio do Uber muito importante porque está prejudicando os mototaxistas de Avaré...”

Trata-se de uma discussão que vai muito mais longe do que o radialista possa imaginar, mas ele não pensou duas vezes para começar um ataque que não foi à frente, porque foi advertido por alguém. O que o radialista não sabe e devia se informar, é que a discussão sobre o Uber é muito mais séria do que se pensa e no momento, não há como comprovar se existe alguma Uber trabalhando clandestinamente como disse no programa de ontem dia 8 de agosto, pois existe uma lei federal dando respaldo ao aplicativo.

Apenas para elucidar a memória do radialista Rodivaldo Ripoli que costuma falar o que lhe vem à cabeça, colocando o nome da rádio em má situação, é que existe uma Lei Federal de n. 13.640/2018, que conferiu aos municípios competência exclusiva para regulamentar e fiscalizar o serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros, que é feito através de um aplicativo. Portanto, caro radialista que ontem mesmo informou que não é jornalista, precisa se informar melhor para não causar maiores danos sobre um assunto que envolve também taxistas, além dos motociclistas que também querem ocupar o seu espaço e deverão buscar seus direitos de acordo com o andamento da discussão.

Não esqueça, senhor radialista, que seu ataque sem qualquer nexo, na manhã de ontem, contra o aplicativo Uber mostra que estava totalmente por fora; bastaria entrar o site Jus Brasil que teria toda a informação necessária, até mesmo um artigo da advogada Flávia Teixeira Ortega, da cidade de  Cascavel, antes de falar que este ou aquele está trabalhando clandestinamente em Avaré. Comprovou ontem, no pouco que falou, que não se informa para fazer um programa de rádio, que acha ser de grande interesse público.

 

Veja Também