11 de março

A população não está nada contente com quem teve a infeliz ideia de fazer modificações na coleta de lixo da cidade e a situação, ao invés de melhorar, ao que parece está trazendo transtorno a Jô Silvestre.
  Desde que a nova empresa tomou conta da limpeza da cidade não se vê um dia que os 21 funcionários não estejam trabalhando fora de horário e isso para, para quem entende, não vai dar certo.
  Interessante que a Prefeitura de Avaré encerra o ano de 2018 com déficit de 8,7 milhões de reais, gastando mais do que recebe e mesmo assim comprando veículos, como se dinheiro caísse do céu.
  Uma cidade que não consegue colocar as suas contas em ordem não tem condições de trazer progresso e lembrando aos incautos, Prefeitura atualmente é um cabidaço de emprego.
  Por falar em cabide, o prefeito Jô Silvestre está apostando todas as suas cartas em manter alguns secretários e amigos do poder, com olho no futuro. Ele quer ganhar a próxima eleição.
  Só que do jeito que a cidade vem sendo administrada com gastos exorbitantes e dinheiro saindo e o que entra não aparecendo nas obras que tanto falam, o perigo é o prefeito passar dificuldades na próxima eleição.
  São tantas coisas que o prefeito Jô Silvestre tem pela frente para consertar a cidade, já que se intitulou o prefeito da reconstrução, mas o que se assiste é completamente diferente do que falam.
  A preocupação de Jô Silvestre é fazer politica partidária e, com certeza, poderá deixar a Prefeitura sem dar um jeito nas coisas mais relevantes que a cidade precisa e o jeito é tentar calar a imprensa através de processos.
  Motoristas de aplicativos de Uber estão sendo multados e acusados de trabalharem ilegalmente em Avaré, mas o fato é que tudo indica que eles estão respaldados por lei federal.
  A dificuldade que os motoristas de aplicativo estão tendo para obter documentação no Demutran deverá levar muitos deles à sessão de segunda-feira na Câmara e isso não é bom para o prefeito.