13 de junho

  Jô Silvestre deixa claro que entende de política tanto que faz o pagamento hoje, dia 13 de junho, um dia depois do “Dia Dos Namorados”, deixando conotação de que para ele o comércio da cidade não faz diferença.
  Secretário Borges do Meio Ambiente gasta argumentos na Câmara dizendo que herdou o sistema ambiental em condições muito críticas.  O importante é que ele não transfira para o próximo a mesma situação.
  Muito bonito o vereador Estati afirmar que vão sair casas na Chácara Pratânia, mesmo Borges dizendo que não. Borges desmentiu o vereador e reafirmou o que disse: sem acertos ambientais, as casas não saem.
  Vereadora Marialva Biason, depois dos valiosos argumentos do secretário, foi quem cobrou para que Borges não deixe para o próximo prefeito essa herança, pois ninguém está vendo resultado algum.
  Ernesto Albuquerque também fez com que o secretário Borges recordasse que essa herança vem de governos anteriores e até agora não parou e a tendência, se não tomar o cuidado apropriado, é desandar mais.
  Pelas respostas de Judésio Borges, tem-se a conotação de que o governo está indo de vento em popa, mas, desta vez, servidores é que sofreram com o discurso de Borges, acusados de “fazer bico” na Prefeitura.
  Interessante que hoje a base que elegeu o filho de Joselyr, os servidores públicos, está sendo a mais prejudicada e atacada e tem gente achando que Jô Silvestre pode continuar mais 4 anos.
  O prefeito Jô Silvestre está seguindo à risca o mesmo sistema de Joselyr Silvestre, seu pai. Eles ainda estão acreditando que o povo prefere circo e pão a uma cidade melhorada.
  O prefeito agora está pavimentando ruas que ainda têm asfalto bom, só para que a elite veja o trabalho chamado “Asfalto Novo”, que é o único programa que abandona a periferia e vem para o centro.
  A Emapa acontece em dezembro, portanto daqui a 7 meses e nunca ninguém viu um prefeito tão preocupado com o evento, esquecendo que nesses 7 meses muita coisa pode acontecer na cidade.