8 de janeiro

Dois anos de governo de Jô Silvestre já se passaram e, segundo a maioria da população, nada de relevante foi feito, ficando tudo na teoria da política partidária, ou seja, preparando para as próximas eleições.
  É um prefeito que pensa grande, mas faz pequeno, ou seja, prefere mais se preocupar com a transferência de setor de uma servidora, ganhando apenas repercussão negativa de um ato que não precisava ser seu.
  Em dois anos de governo, as retrospectivas mais se baseiam na aquisição de veículos, mas os setores que vão esses veículos não funcionam a contento da população carente, principalmente o setor da saúde.
    Aliás, a aquisição de inúmeros veículos de uma empresa só de Avaré chamou a atenção de opositores do prefeito e um vereador chegou a colocar certa dúvida, mas que tudo teria sido resolvido.
  Apenas para que o prefeito repense no que vamos escrever: ninguém mais fala do grande suposto sucesso da Emapa em dezembro passado, mas o povo continua criticando o sistema de coleta de lixo.
  Não está convencendo essa conversa de que os servidores públicos da limpeza estariam fazendo corpo mole ou greve branca. O que precisa contar para a população é que quase todos os caminhões estão quebrados.
  O sistema de coleta de lixo da Prefeitura passa a ser o Tendão de Aquiles do prefeito Jô Silvestre, que já deixou comprovado que, para fazer festa sua equipe é boa, mas para administrar passa muito sufoco.
Conta a presidente dos coletores de reciclagem de Avaré, que ninguém ficou sabendo da eleição feita para uma nova presidente e o interessante era que setores da Prefeitura tinham muito conhecimento disso.
  Foi necessário o barracão pegar fogo para que alguma coisa viesse a ser feita. O que chama a atenção é que o secretário de Meio Ambiente garante que foram notificados para deixar o local, eles negam isso.
  Agora o que precisa mesmo é uma investigação muito bem feita, pois existem indícios de empresas interessadas naquele prédio; é necessário descobrir a razão de ter pegado fogo.