Coronavírus não sobrevive no calor? Cuidado com Fake News

Coronavírus não sobrevive no calor?  Cuidado com Fake News Fonte da Foto: ilustrativa

Beber água não mata o vírus. Outra fake news começa com uma frase célebre desse tipo de falsa informação: “conselhos excelentes sérios por médicos japoneses”. E segue receitando garantir boca e garganta sempre úmidas. “Tome alguns goles de água a cada 15 minutos, pelo menos… Mesmo que o vírus entre em sua boca, beber água ou outros líquidos os lavará pelo esôfago e pelo estômago. Uma vez lá na barriga, seu ácido do estômago matará todo o vírus. Se você não beber água suficiente com mais regularidade, o vírus pode entrar nas traqueias e nos pulmões. Isso é muito perigoso.”

A farmacêutica-bioquímica Laura de Freitas reforça que manter a hidratação do nariz e da boca realmente dificulta a infecção pelo vírus, mas não tem nada a ver com “lavar” o vírus pelo esôfago ou estômago. “Nosso nariz produz um muco natural que nos protege contra vírus e bactérias ao formar uma camada protetora em cima das nossas células”, informa a cientista. “Quando estamos desidratados ou o tempo está muito seco, a quantidade desse muco diminui, e isso facilita a entrada dos vírus e bactérias. Manter-se hidratado ajuda o corpo a se proteger de infecções respiratórias, mas não é uma garantia: depende do número de vírus que entrar no seu nariz/boca.” E reforça: “as melhores medidas para se proteger são: lavar as mãos após cumprimentar pessoas e usar o transporte público (ou tocar em qualquer coisa pública), manter-se hidratado, comer de forma saudável e evitar aglomerações de pessoas”. Calor e gargarejos não funcionam.

Outra fake news afirma que vírus é fraco e não resiste ao calor. “Temperaturas de 26 ou 27° C já matam o dito cujo”, prega a mentira. A doutora, no entanto, lembra: a temperatura média do nosso corpo varia entre 36°C e 37°C. “Se o vírus ‘morresse’ a 26°C não seria capaz de causar uma infecção em humanos. Se o vírus estiver fora do corpo em um ambiente com temperatura alta, entre 30°C e 40°C, ele dura menos tempo ‘vivo’, porque vai ‘desidratar’ rápido, mas continua sendo capaz de causar infecção por bastante tempo.” Ela avisa também que chá quentinho é gostoso, mas não vai matar o vírus. “O vírus infecta os pulmões, e o chá não chega até lá, diz, desmentindo a receita que manda beber água quente ou chá quente para matar o coronavírus. Outra informação falsa que circula nas redes sociais diz que uma das características do vírus é a tosse seca. E que por 3 a 4 dias ele ficaria restrito à garganta. Assim, nesta fase fazer gargarejos já ajuda a minimizar o impacto.

A 2ª fase da doença dura 5 a 6 dias e nesta fase o vírus causa coriza e também infecta os pulmões causando pneumonia. A doença, vencido este prazo, se torna letal…a pessoa tem a sensação de estar respirando debaixo d’água. Para derrubar mais essa mentira, a cientista da USP explica que o coronavírus covid-19 (atual), assim como o SARS-CoV (2002), infecta as células do pulmão, não da garganta ou do nariz. “Eles usam o nariz e a garganta como porta de entrada no corpo apenas. A tosse e a coriza (nariz escorrendo) são sintomas do vírus se multiplicando e o nosso corpo reagindo. Fazer gargarejos não vai matar o vírus, mas pode aliviar aquela coceira na garganta. Por infectar as células do pulmão, ele pode mesmo causar pneumonia, mas isso só acontece nas pessoas mais debilitadas, com imunidade muito baixa, principalmente idosos (mais de 80 anos).”

Fonte: cennoticias

Veja Também