CPFL Santa Cruz registra 43 interrupções por queimadas entre janeiro e junho na região

CPFL Santa Cruz registra 43 interrupções por queimadas entre janeiro e junho na região Fonte da Foto: ilustrativa

O tempo seco característico do início do inverno brasileiro traz uma preocupação adicional para distribuidoras e transmissoras de energia elétrica: o risco de incêndio em terrenos baldios ou áreas rurais sob as redes de distribuição e transmissão. Um levantamento feito pelo Centro de Operações da CPFL Santa Cruz mostra que na região de Ourinhos, entre 1º de janeiro a 15 de junho deste ano, foram contabilizadas 43 queimadas responsáveis por interrupções no fornecimento de energia, média de uma por semana. Em 2019, as queimadas resultaram em 136 ocorrências de interrupção no fornecimento de energia, 25,9% a mais que as 108 de 2018.

“É importante a conscientização da população e dos produtores agrícolas, pois os incêndios sob a rede de distribuição de energia são, muitas vezes, causados pelo uso do fogo como método de poda de algumas plantações. O impacto das queimadas é maior ainda quando acontecem sob as linhas de transmissão, responsáveis pelo abastecimento de regiões inteiras”, alerta Ariley Dario da Cunha, gerente de Operações de Campo, da CPFL Santa Cruz.

Entre os municípios com mais interrupções na região de Ourinhos, a própria cidade de Ourinhos registrou 9 ocorrências, ficando em primeiro lugar. Avaré e São Pedro do Turvo ocupam a segunda posição com 4 casos. Bernardino de Campos e Jacarezinho Ficam no terceiro da lista com 3 registros.

Entre janeiro e junho de 2020, a CPFL Santa Cruz já registrou 102 queimadas que afetaram a rede elétrica em toda a sua área de atuação. Considerando 2019, as interrupções desse tipo cresceram 26,3% em relação a 2018. Foram 240 ocorrências no ano passado contra 190 no ano anterior.

De acordo com o estudo da distribuidora, que atende 457 mil de consumidores em 45 municípios de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, até o momento, Itapetininga lidera o ranking geral de queimadas, totalizando 15 ocorrências. Em segundo lugar vem Ourinhos, empatado com São Miguel Arcanjo, com 9 casos e, na sequência, Pedreira, com 8 registros.

Avaré registra 4 até o momento.

Veja Também