Ex-vereadora dá sugestão para que Prefeitura possa ajudar comércio

Ex-vereadora dá sugestão para que Prefeitura possa ajudar comércio Fonte da Foto: Do Vale TV

A ex-vereadora Victoria Cortez, recentemente, enviou uma matéria interessante e que se trata de um assunto a ser discutido não apenas pelo governo Municipal, mas também entre os vereadores, já que mérito envolve também o comércio da cidade que enfrenta uma pandemia.

A ex-vereadora deu uma sugestão da criação do fundo municipal aos micro e pequenos empresários, empresários de pequeno porte e Eirelis.  Ela destaca   ser de suma importância que o Poder Executivo, adjunto ao departamento jurídico da prefeitura, como já havia sugerido anteriormente, estudem a possibilidade da criação de um fundo municipal.

Victoria Cortez argumenta que é de conhecimento público que o Município de Avaré percebeu uma verba pública no importe de mais de quase 11.000.000,00(onze milhões de reais), tendo como condição de despesa obrigatória o gasto de 12,7% para o combate ao Coronavírus.

Sugere que restante do fracionamento dos recursos públicos deveriam ser dirigidos, por intermédio da municipalidade, em relação a expansão de gastos públicos. Portanto, poderia, carinhosamente e cautelosamente, a municipalidade encaminhar um pacote do restante da importância para a criação do fundo municipal no tesouro municipal ao Poder legislativo avareense, no intuito de alocar o fracionamento dos recursos públicos ao comércio... as pequenas empresas...

Afirma ainda que justificando tal medida, ao Legislativo, no sentido que muitos dos comerciantes avareenses estão na iminência de fechar as suas portas, pois não estão suportando o ônus de aluguel e dos encargos trabalhistas.

Apesar das medidas provisórias aprovadas no Congresso Nacional. Bem como, nessa toada, os comerciários também perderão os seus empregos, deixando de consumir. Não sabendo o futuro que os aguarda.

Por derradeiro, expõe a ex-vereadora que seria bastante interessante, o município repensar em uma estratégia de também alocar esses recursos públicos no banco do povo com juros baixos e prazo máximo de carência. Com fiscalização rigorosa nessas verbas públicas por meio da Câmara municipal de vereadores, ministério público, tribunais de contas e da população em geral!

Veja Também