Programas de rádio não podem influenciar eleitores

Programas de rádio não podem influenciar eleitores Fonte da Foto: ilustrativa

Apresentador de programa de rádio e televisão precisa ter muita responsabilidade durante o período eleitoral e respeitar a legislação que tem como objetivo garantir isonomia entre os candidatos de todos os partidos.

É comum em tempos de eleição que apresentadores se excedam em seus comentários mostrando tendências por um candidato ou partido político e acabem cometendo crime eleitoral, passível de punição. É o típico caso do uso de um meio de comunicação que deveria ser democrático, para fins eleitorais particulares daqueles que tem à sua frente um microfone para se comunicar.

A prática é corriqueira e a Justiça Eleitoral tem punido rigorosamente esses subterfúgios para apoio de um candidato em detrimento de outros.

O Jornal do Ogunhê apurou com advogados atuantes na seara eleitoral que um meio de comunicação não pode através de sua programação impactar a eleição e provocar desequilíbrio. Pelo contrário, os apresentadores desses programas devem zelar pela igualdade de tratamento e não discriminar velhos ou novos candidatos que para a lei tem o mesmo valor.

Segundo um partidário de Avaré alguns partidos registraram áudios que poderão ser levados para a Justiça como denúncia de crime eleitoral praticado por apresentadores de programas jornalísticos.

Veja Também