Toninho da Lorsa voltou a reafirmar que não concorda com volta às aulas

Toninho da Lorsa voltou a reafirmar que não concorda com volta às aulas Fonte da Foto: reprodução

O vereador Toninho da Lorsa ao fazer uso da palavra livre na segunda-feira, dia 10 de agosto, depois de fazer uma metáfora para poder explicar melhor o assunto, disse que uma rádio e um jornal colocaram uma fala que não era dele e deixou claro que não concorda com a volta às aulas. O vereador explicou que a vereadora Adalgisa tinha usado da palavra um pouco antes dele e que concordou com o que a colega havia dito.

Durante a explanação, Toninho da Lorsa disse que respeita o vereador Morelli, mas não concordava com o colega na condição de que as aulas voltassem como havia dito. O vereador disse que na matéria colocaram os dois juntos, o que para Toninho não seria certo, porque não foi a sua opinião, argumentou.

Toninho foi incisivo em dizer que como pai jamais pediria que uma criança voltasse às aulas com o mínimo de risco. O vereador disse que é a segunda vez que isso acontece e se dirigiu ao vereador Ernesto Albuquerque dizendo que isso é muito chato, afirmando ainda que está aberto ao diálogo, podendo ser perguntado a qualquer momento. Deixou claro que nunca deixou de responder mensagem de nenhum jornalista de Avaré e o único foi um que teve problema na justiça e não poderia responder mesmo-disse.

Toninho Lorsa, ainda no uso da palavra, disse que não acusa para depois ter que se defender e deixou uma dica para o jornalista “não se torne aquilo que você tanto critica”. O vereador também lembrou de situações que envolveram a sua empresa e sem necessidade trazendo problemas que não existiam.

Toninho da Lorsa também falou sobre a lambança da semana passada com a abertura precipitada do comércio da cidade sem a existência de um decreto e disse que sobre o questionamento feito pelo MP e alertou quando se tem firmeza do que está fazendo, faz sem medo. Questionado, voltou atrás causou prejuízo a donos de restaurantes e de bares, que fizeram compras e no dia seguinte não puderam abrir. Para o vereador tudo isso foi uma bela lambança.

Veja Também